Acesse sua Conta

Campo Obrigatório
Digite sua senha

Notícias

06/02/2014

Maravilhas do Rio Grande: Ruínas de São Miguel Arcanjo

Ruínas de São Miguel Arcanjo publicação na revista Navegador Turismo junto de outras atrações do estado do Rio Grande do Sul

      As Ruínas de São Miguel Arcanjo, ou Ruínas de São Miguel das Missões, são o que sobraram da maior redução jesuítica no território à época disputado por espanhóis e portugueses que mais tarde passou a ser o Rio Grande do Sul. Ficam a cerca de 485 km de Porto Alegre, no oeste do estado, próximas da fronteira com a Argentina. São atualmente um dos ícones do Rio Grande do Sul e um dos lugares mais visitados no estado.

         A Redução de São Miguel Arcanjo foi fundada em 1687 pelos padres jesuítas espanhóis da Companhia de Jesus numa época em que as terras onde hoje está o Rio Grande do Sul pertenciam à Espanha por força do Tratado das Tordesilhas (1494). Foi a maior das sete reduções jesuíticas que juntas compunham os Sete Povos das Missões no solo que mais tarde passou a ser o Rio Grande do Sul. De todas as reduções jesuíticas no cone sul, foi considerada a mais próspera.

        O templo, hoje em ruínas, foi erguido em 1745. No seu auge, a redução de São Miguel Arcanjo chegou a abrigar 6.000 índios guaranis que, além de aceitar a fé cristã, aprendiam o espanhol e ensinamentos de economia, arte e ciências. Também aprendiam música e a confeccionar instrumentos musicais.

       Com a assinatura do Tratado de Madri em 1750, cinco anos após a construção do templo, a região dos Sete Povos das Missões foi entregue pelos espanhóis a Portugal em troca da Colônia do Sacramento, que passou ao controle da Espanha. Contudo, o Tratado de Madri não conseguiu ser cumprido de imediato, pois essa troca motivou a resistência dos índios guaranis, que se recusavam a entregar as reduções aos portugueses, gerando um conflito que entrou para a história comoGuerras Guaraníticas (1754 a 1756). Os índios guaranis, liderados pelo índio guerreiro Sepé Tiarajú, morto em 1756, se recusaram a entregar suas terras aos portugueses, descumprindo o que rezava o tratado. Para forçar o cumprimento do tratado, portugueses e espanhóis se uniram para lutar contra os índios guaranis e assim promoveram a matança dos índios e a destruição das reduções jesuíticas. Foi quando Sepé Tiarajú proferiu sua famosa frase “Essa terra tem dono!”. De nada adiantou. Todas as reduções foram destruídas pelos portugueses e espanhóis, sendo que São Miguel foi a que mais conseguiu resistir à destruição. 
      As Guerras Guaraníticas, com a destruição das missões jesuíticas e genocídio dos índios guaranis, é bem retratada no filme “A Missão” (The Mission) de 1986.

      Hoje às Ruínas estão abertas à visitação, e contam com um famoso show de som e luzes muito apreciado pelos turistas, um local de muita riqueza cultural que abrange grande parte da vasta História política cultural do Rio grande do Sul.

Para maiores informações em ralação à visitação e outros atrativos de mesmo conceito acesse: http://www.saomiguel.rs.gov.br

Nosso portal não possuí departamento de jornalismo, apenas replicamos as notícias e publicações de outros, portais, sites e blogs com fim informativo, não tendo intuito lucrativo, reservamos aos seus respectivos autores todos os direitos de autoria tanto da matéria quanto das imagens, citados sempre no campo "Fonte:".

  • Som e luz

  • Santo Angelo

  • Primavera nas ruínas

  • Sino Original

  • Cartão Postal

Previsão do Tempo

© 2017, Navegador Turismo, Todos os direitos reservados.
E-mail: contato@navegadorturismo.com.br
Tel.: (55) 9987-6674 com Joel ou 9907-3637 com Daniel